Sempre que olho para trás, na linha da vida, questiono-me se valeu a pena. Sim, valeu a pena! Fundamentalmente, por todas as pessoas que fui encontrando pelo caminho e que me empurraram, algumas até literalmente, para me transformar no homem que sou. Lembro-me de cada nome dessa gente enorme e terão sempre a minha gratidão.
Sou um sonhador, como sabem. Sempre serei, embora hajam sonhos que, lentamente, deixam de o ser, diria, naturalmente. Há riquezas e vivências que, pelos meus condicionalismos diversos, jamais conseguirei alcançar, o que não quer dizer que desisto, nada disso, apenas percebi que o ideal é tentar conquistar aquilo que ainda será possível, com trabalho, tranquilidade, esperança e sabendo esperar, vivendo apenas um dia de cada vez.
Para mim, o termo “sonho” confunde-se com o emprego porque foi o maior feito que algum dia consegui. Em Portugal e até no mundo, quantos e quantas com uma deficiência idêntica à minha, conseguiram um bom emprego como eu consegui? Foi conseguido por mérito próprio, com o empenho da minha mãe, com a convicção da minha irmã e com a crença de quem apostou em mim e, julgo, nunca se arrependeu. O sonho ainda o é! Está vivo e faz cada dia da minha existência, melhor. Profissionalmente, sinto-me bem, continuo a evoluir e sei que sou um elemento válido no serviço em que estou inserido. Muito francamente, alguns e algumas colegas são a minha segunda família, não me estando a ver sem as provocações divertidas da Ana, o Metal do Pedro, o cantarolar do João, o leitinho às 4 em que ninguém pode dar uma piada, senão, borro tudo e é o descalabro total lol. As conversas culturais e enriquecedoras com o Luís, os sorrisos e confidências com a Sandra, a simpatia da Carla e as gargalhadas e o olhar da Mafalda. Não saberei viver sem isto! Não me posso tirar tudo isso a mim próprio. A minha decisão está tomada e é irreversível: Apenas abandonarei a FPCEUP quando já não estiverem reunidas todas as condições para continuar. Acho mesmo que tenho a mesa de trabalho mais linda do edifício!
O meu futuro é amanhã com a Cristina e a Susana. É domingo com os meus sobrinhos e o FC Porto. É o construir do meu quartinho todo XPTO. É a roupa nova que me vai elevando o ego e vaidade estranha mas benéfica para a imagem que quero passar. É o mar nos dias mais quentes. Será o conhecer pessoalmente a minha amiga Carla em meados do verão.
MFC