De repente, ela olhou para mim!

Não é que nunca tenha olhado,

Mas não com uma profundidade sem fim,

Com olhos de cetim,

Miragem que me deixou atordoado.

Fuck, olhou para mim!

E agora, que faço?

Toco-lhe no braço?

Dou-lhe um abraço?

Dava-lhe mas é um amaço!

Oh, estou a ser idiota!

Algum dia esse olhar brota?

Mais rápido apanho uma gaivota…

Como se fosse fácil isso acontecer.

Mas eu vi, fogo…

Aconteceu ao entardecer,

Na praia da nossa acalmia,

Com o sol a sair de jogo,

Num mar com ondas a bater

Na areia pequena e fria,

Como sempre fui ao teu ver.

Fui! Já não sou, pois não?

Eu vi, porra!

Olhaste-me com invasão.

Deste-me acordes de emoção,

Desconhecia até então.

Guardo essa visão,

Mesmo que não me voltes a olhar assim…

Para mim.

MFC