Marcos César

Marcos César

Os Urban Tales surgiram em 2005 e apenas com alguns temas na manga, a banda causou sensação no meio underground nacional. O álbum de estreia “Diary of a No“, lançado pela editora grega Burning Star Records, teve uma enorme aceitação, especialmente pela critica especializada.

O misto de Rock/Metal Gótico e crescente popularidade conduziu a banda a uma colaboração com a Federação de Doenças Raras de Portugal (FEDRA) que resultou no tema “Alive“, o que levou a que a actuasse em vários espaços televisivos de grande audiência.

O segundo álbum “Loneliness still is the friend” veio confirmar todo o potencial. Ao que se seguiu um estranho hiato de actividade, regressando agora com um novo formato. A banda é cada vez mais um projecto do seu vocalista e mentor Marcos César e conta agora com sonoridade renovada.

Para melhor conhecermos as novidades acerca do regresso da banda e do single “The Name of Love” que marca este regresso, tivemos uma pequena conversa com o Marcos.

Cerca de 5 anos após o lançamento de “Loneliness Still Is The Friend” e de um hiato prolongado a banda ressurge agora. Porquê a paragem e porquê este regresso agora?

Depois do segundo álbum, queria fazer algo diferente. Mesmo que não fosse inovador, mas que para os UT fosse algo novo. E como andava a ouvir coisas mais acústicas, foi algo natural que o som também muda-se.

O regresso deu-se agora, porque o timing foi este, não havia uma data para nada, tudo foi feito com calma e dessa forma hoje estamos aqui.

Pelo que soube a formação da banda foi completamente renovada. Quem são os actuais membros dos Urban Tales?

Os Urban Tales nasceram primariamente de um projecto meu. De inicio era natural que se torna-se uma banda, mas agora não faz sentido. A maneira como as musicas são criadas, dá-me liberdade de poder contar com muitos músicos e diferentes de tema para tema. Aliás se formos ver outras bandas é o que se faz hoje em dia.

A renovação dos Urban Tales não se restringiu à formação mas também à sonoridade. A julgar pelo single “The Name of Love” diria, que apesar de manterem a melancolia que era apanágio dos Urban Tales, pouco resta da vertente elétrica dos primeiros álbuns. Que nos podes dizer sobre isto?

Sim mudou muito ou quase na totalidade. Contudo, a reacção do pessoal que já ouviu alguns temas diz que é Urban Tales na sua essência. O que significa que apesar da mudança, algo ainda está lá. Parece que criámos uma sonoridade própria.

Erik A. Williams

Erik A. Williams. Reconhecido actor norte-americano é uma das participações especiais em “The Name of Love”

Algo que me agradou pessoalmente foi a introdução do piano na vossa música. O que até não é novo, pois já o ouvimos em “Despair” do segundo álbum. É para manter?

Sendo a sonoridade das musicas mais calmas terá sempre um pouco mais de pianos mas não será uma regra em todas as musicas. Acho que a sonoridade destes temas ronda o rock, depois podem dizer que e triste, melancólico, mainstream, acho que vai depender de cada um….

Para o single contaram com a participação dos actores Erik A. Williams e Tracy Burr. No vídeo alusivo contaram também com a participação de outros actores, Tadeusz Januszewski e Sonia Latka. As colaborações não se ficaram por aqui, já que a capa do single é de Dagur jonsson. Queres nos contar como surgiram estas colaborações?

Por sorte, ou algo do género. No caso do Eric e da Tracy contactei-os e eles aceitaram. Nunca pensei que o Erik que ja fez coisas para o Conan O’Brien, Teoria do Big Bang, filmes e series de TV fosse aceitar; mas aceitou e até correu bem.

Com o Tadeuz foi ainda melhor, porque na altura estava a pensar que este single era muito à filme e que gostava de fazer um clip dentro dessa vertente. Ele gostava da banda e começamos a trocar ideias sobre como poderíamos fazer isto.Como ele era actor, também já com papeis na TV feitos e tinha a sua própria empresa de produção. Quando ouviu a demo da musica aceitou logo fazer o clip. Foi algo que levou o seu tempo, mas foi das melhores parcerias que fiz até hoje…. Um grande profissional.

Quando vi o trabalho do Dagur, fiquei de boca aberta, e tendo eu uma ligação pela Islândia muito forte perguntei-lhe se queria ceder uma foto para este trabalho, outra vez ele ouviu a demo e disse que sim….

Parece complicado mas foi assim tão simples….

the name of love

Imagem do vídeo que se estreia na próxima Sexta-feira

Que nos podes adiantar sobre o vídeo de “The Name of Love”?

O vídeo sai no dia 15 (sexta feira), e o que posso adiantar e sem querer ser spoiler, é que estou tremendamente satisfeito com ele, levou o seu tempo, mas o resultado final foi muito bom! Basicamente o trama do vídeo segue a letra da musica.

É uma historia de amor com todas as suas peripécias, e a imagem vai mostrar isso.

Como é que tem sido a reação do publico, especialmente a malta que vos seguia? Quer ao regresso da banda, como a “The Name of Love”?

A reacção ao single tem sido soberba, quer nas criticas, quer nas vendas. Termos chegado ao primeiro lugar do top do Itunes é algo que primeiro foi novidade para mim e algo de que me orgulho.

A malta que esperava ouvir algo mais metal ou gótico, concerteza que não partilhará da mesma reacção, mas mesmo alguns com quem tenho falado curtem a musica….

O single está disponível em várias plataformas de venda online pelo intermédio da Farol. Foi um acordo fácil?

Fui a uma reunião mostrar o single e mais alguma coisa. Ficou logo delineado que se faria uma parceria. Foi simples e rápido.

Planeias para breve algum evento ao vivo atendendo ao regresso da banda e lançamento do single?

Não, para já não.

Depois do single e videoclipe o que se segue? Algum álbum para breve?

Tenho o álbum feito e na minha perspectiva até me sobram musicas, mas vou fazer tudo com calma.

Sem datas, sem obrigações. Se der deu, se não der também não há mal. Com o que se conseguiu com esta musica já é algo de orgulho, tenho de desfrutar do momento…